DIETA MEDITERRÂNEA: Novo Cardápio Emagreça Rápido 7kg

Tudo Sobre Dieta Mediterânea

DIETA MEDITERRÂNEA

DIETA MEDITERRÂNEA

Perder Peso e Comer deliciosamente alimentos que irão te deixar saudáveis ao longo dos tempos. Esse é o lema da dieta mediterrânica tradicional.

Não há nenhum único plano de Dieta Mediterrânea com sabor mediterrâneo, mas em geral, você estaria comendo muitas frutas e legumes, feijões e nozes, grãos saudáveis, peixes, azeite de oliva, pequenas quantidades de carne e produtos lácteos, e vinho tinto.

Este estilo de vida também incentiva diariamente o exercício, compartilhando refeições com os outros, e desfrutando de tudo.

beleza.blog.br-dieta-mediterranea-novo-cardapio-emagreca-rapido-7kg

>> Recomendamos Para Você:

 

(VÍDEO) Dieta Mediterrânea: Tudo o que Você Precisa Saber

 

> Dieta Mediterrâneo funciona?

Esta dieta traz pontuações grandes para a saúde do coração. Estudos sugerem que pode te tornar menos propenso a ter doença cardíaca, diminui sua pressão arterial e colesterol, e também pode ajudar a evitar certos tipos de câncer e doenças crônicas.

Para perda de peso, você terá melhores resultados se ficar com ela durante seis meses, fazer exercício físico regular, e cortar a quantidade que você come.

Estudos mostram que pode ser melhor para perda de peso do que uma dieta de baixa gordura.

 

> Dieta do Mediterrâneo Alimentos Permitidos

Você vai comer principalmente alimentos de origem vegetal, incluindo frutas e legumes, batatas, pão integral, feijão, nozes e sementes.

Você pode ingerir iogurte, queijo, aves e ovos em pequenas porções. Você deve comer peixes e frutos do mar, pelo menos, duas vezes por semana.

“Boas” gorduras como azeitonas, azeite extra-virgem de oliva, nozes, sementes de girassol e abacate em vez de manteiga ou margarina, pode. Você vai usar azeite muito durante o cozimento. E usar ervas e especiarias para dar sabor.

Vinho tinto recebe o polegar para cima, com moderação (um copo para as mulheres, 1-2 para os homens). Mas a água é o seu bebida predileta.

Sobremesa é geralmente fruta. Doces e carnes vermelhas são OK ocasionalmente.

 

Nível de esforço: Baixo para Médio

Limitações: Poucas. A dieta mediterrânea permite muita variedade e experimentação.

Cozinhar e fazer compras: Simplifique pelo planejamento de suas refeições com antecedência; mantendo na sua despensa:

Azeite de oliva,

Tomates enlatados,

Cereais integrais,

Massas e Atum na mão; e compre produtos frescos e frutos do mar, algumas vezes por semana.

Você pode grelhar ou assar facilmente muitos alimentos da dieta mediterrânea.

Alimentos embalados ou refeições? A dieta enfatiza alimentos frescos.

Exercício: Ser ativo todos os dias faz parte do estilo de vida.

 

> É bom para as Condições de Saúde?

Além de ajudar o seu coração e melhorar o seu colesterol, a dieta pode ajudar a reduzir suas chances de ter Alzheimer, diabetes, osteoporose e depressão.

Naturalmente, muitas outras coisas também afetam a sua saúde, incluindo os seus genes, como você está ativo, e se você fuma. Há muito mais para ele do que o que você come. Abaixo você encontra a Dieta do Mediterrâneo Cardápio.

 

Sugestão de Cardápio Dieta Mediterrânea

Café da manhã

  • Opção 1: 1 unid de pão francês,1 col sobremesa de geléia diet,1 copo de suco de limão,1 fatia de queijo branco
  • Opção 2: 01 unid de pão francês, 01 col sopa cottage,01 copo de suco de uva, ½ unid de mamão
  • Opção 3: 01 unid de pão francês integral, 01 col sobremesa de margarina light, 01 xícara de leite desnatado
  • Opção 4: 02 fatias de pão de forma integral, 01 fatia de queijo branco light

 

Lanche da Manhã

 

Almoço

  • Opção 1: 1 prato de sobremesa de salada de agrião, 02 col sopa de arroz integral com brócolis,01 col sopa de lentilha, 1 porção de atum grelhado
  • Opção 2: 01 prato de sobremesa de salada de rúcula e tomate,02 col sopa arroz, 01 col sopa de lentilhas, 01 filé de pescada grelhada,
  • Opção 3: 01 prato de sobremesa de salada de alface e cenoura ralada ,02 col sopa arroz integral, 01 omelete simples, 1 col sopa vagem refogada
  • Opção 4: 01 prato de sobremesa de salada de almeirão, cenoura crua e tomate, 02 col de macarrão com legumes, 01 filé de frango grelhado

 

Café da Tarde

  • Opção 1: 01 taça de morangos
  • Opção 2: 04 nozes
  • Opção 3: 01 cacho de uvas
  • Opção 4: 01 pêssego

 

Jantar

  • Opção 1: 02 pegadores de macarrão picado, 01 fatia de lombo assado, 01 xícara de folhas picadas
  • Opção 2: 01 prato de sobremesa de salada de couve-flor, brócolis, 02 col sopa arroz integral, 02 col sopa de carne bovina magra
  • Opção 3: 01 prato de sobremesa de alface e tomate, 01 fatia de peito de peru,02 torradas integrais
  • Opção 4: 01 filé de frango, 1 prato de sobremesa de salada de trigo, 02 col sopa de arroz integral, 01 col sopa de lentilhas

 

Ceia

  • Opção 1: 01 ameixa fresca
  • Opção 2: 01 pêssego
  • Opção 3: 01 copo de suco de laranja
  • Opção 4: 01 fatia de melão

 

(VÍDEO) Dieta Mediterrânea-Nutricionista-Bem Estar

 

Dieta Mediterrânea

A dieta mediterrânea receitas, em grande teste de dieta Saiba tudo sobre este método para perder peso.

Dieta Mediterrânica: Os estandes sobre o plano de dieta

Comer como um feriado – a dieta mediterrânea parece nossos vizinhos do sul nas placas.

É modelado sobre os hábitos alimentares das pessoas em Creta e sul da Itália.

Então, é um monte de legumes, salada e frutas frescas na dieta.

Além disso, massas, pão, arroz, legumes e azeite extra-virgem, ervas frescas e alho.

Há pouca carne, mas várias vezes por semana peixe ou marisco.

Importante quando o programa dieta mediterrânea: ter tempo para comer.

 

Dieta Mediterrânea – a Ideia

A dieta mista de alta fibra com gorduras saudáveis e ingredientes frescos para fazer o delgado, que regulamenta lipídios sanguíneos e reduzir o risco de doença cardiovascular.

O lento, comida relaxado dá ao corpo tempo para estar doente em paz.

Legumes, frutas e salada de fazer a digestão boa.

A perda de peso lenta de dois quilos por mês está em perspectiva.

O conceito é sim uma forma de dieta saudável do que uma dieta.

Para perder peso, você deve contar calorias e moderação com o negócio do petróleo.

 

Dieta Mediterrânea – Riscos e Desvantagens

Pequeno-almoço não deve solucionar entre os sulistas que você olha.

Muitas vezes, apenas uma xícara de café é bebida e doces consumidos complementar aqui com cereal ou iogurte.

Nem sempre apontada nos vários conselheiros da dieta mediterrânica para um estilo de vida ativo com esportes e exercícios.

 

Dieta Mediterrânea: Bom Saber

Os ingredientes da dieta mediterrânea também estão disponíveis no inverno em qualquer supermercado.

Também comer fora não é um problema.

No entanto, a dieta com abundância de peixes e frutos do mar não é barato, e você tem que ficar muito na cozinha.

 

Dieta

A renunciar a qualquer coisa e ainda perder peso?

É muito simples com a dieta mediterrânea.

Se pizza, massas, peixe, cordeiro ou azeite aromático a dieta mediterrânea é o lugar perfeito para gourmets.

A melhor parte: A variedade de alimentos é equilibrada e muito saudável.

A dieta mediterrânea cardápio semanal (Creta dieta, dieta mediterrânea) é uma forma de nutrição, o que é típico do Mediterrâneo.

É praticado em países como a Grécia, Itália, Espanha e Marrocos, e é atualmente como o mais benéfico para dietas de saúde.

Ela está associada com um risco reduzido para um número de distúrbios, particularmente a natureza cardiovascular.

O risco para o câncer, diabetes, doença de Alzheimer e obesidade são significativamente reduzidos, melhor a dieta mediterrânea não é cumprido.

A dieta mediterrânea é da composição com a dieta Paleo comparáveis.

A dieta mediterrânea é baseada na seguinte base da alimentação:

 

Legumes e Frutas

Leguminosas, como feijões e lentilhas.

Os cereais integrais

Peixe pelo menos duas vezes por semana

Nozes e sementes

Azeite (principal fonte de gordura na dieta de Creta, ácidos graxos monoinsaturados)

O consumo de vinho com moderação

Ser limitados ou evitados:

Dispensa de produtos de farinha branca

Dispensa de açúcar refinado

Doces raramente, em vez de frutas.

Na dieta mediterrânea muito pouca carne vermelha é comido

Produtos lácteos, como iogurte e queijo com moderação.

Uso excessivo de sal, ao contrário, mais especiarias

 

(VÍDEO) Dieta Mediterrânea

 

Perder Peso com a Dieta Mediterrânea

A dieta mediterrânica é uma dieta e nenhuma dieta para perda de peso por si só.

No entanto, ele foi muitas vezes dieta utilizada com sucesso em combinação com uma baixa de carboidratos (baixo carboidrato) para quebrar a gordura corporal.

Já a transição para o tipo mediterrâneo da dieta leva, em média, uma redução de peso corporal por 1,75 kg a.

Para o cumprimento da dieta por pelo menos 6 meses ou mais é necessário.

Este é provavelmente devido à maior saturação e influência positiva sobre o hormônio serotonina felicidade.

O sucesso com a dieta mediterrânea na qual calorias são reduzidos seletivamente, se movem de acordo com o estudo, em uma gama de 7 kg de peso corporal em 6 semanas, 14 kg em 12 semanas e 16 kg de peso do corpo em um ano.

Desde a dieta Creta traz uma dieta clara, de longo prazo com e uma reaprendizagem requer, o risco é experimentar um efeito yo-yo, reduz.

As partes saudáveis da dieta Creta melhor em pessoas obesas alguns valores de saúde (colesterol LDL e marcadores inflamatórios), mesmo sem a redução de peso.

A remoção do excesso de gordura corporal, estes valores melhorados muito melhor e valores diferentes (triglicéridos, glicose, insulina, leptina) para.

 

A Mudança de Dieta já Resultou na Perda de Peso

A dieta mediterrânea é em si mesmo uma forma de alimentação, não uma dieta para a perda de peso em si.

No entanto, já efetuar uma conversão para um saudável, que satisfaçam os alimentos com uma densidade calórica inferior a uma redução da gordura corporal.

Esta é a conclusão de uma meta-análise, que é uma análise e resumo de 16 estudos clínicos.

Aqui apenas a alteração levou à dieta mediterrânea em uma perda de peso média de -1.75 kg.

Calorias adicionais foram restritos especificamente, os participantes foram capazes de perder peso, em média -3.88 kg.

O aumento das atividades físicas e desportivas, combinados com a dieta mediterrânea com sabor brasileiro resultou em uma queda de -4 kg.

A fim de alcançar os resultados mencionados era necessária uma adesão em longo prazo para a dieta mediterrânea por 6 ou mais de 12 meses.

Apesar do relativamente elevado teor de gordura (azeite) na dieta mediterrânea, não havia nenhum dos estudos para ganhar peso.

Estes resultados são confirmados pelo fato de que aqueles que respeitarem estritamente as orientações da dieta mediterrânica significativamente menor entre compulsão alimentar sofrem.

Afetam possivelmente componentes da dieta mediterrânea, como nozes, peixes e relacionados com ácidos graxos ômega-3, o equilíbrio da serotonina no cérebro.

O impacto sobre a serotonina hormona alegria poderia, por conseguinte, também o efeito preventivo contra a depressão explicar o que é determinado pela dieta Creta.

Os ácidos graxos ômegas-3 poderia apoiar diretamente a redução de peso.

Uma meta-análise de 15 estudos com óleo de peixe e participantes obesos encontrou um efeito de redução de gordura de óleo de peixe, que se manifestou em uma média de -0.59 kg em 2 meses.

 

Dieta sucesso em longo prazo por parte da dieta mediterrânea

A vantagem particular da dieta mediterrânea em conjunto com a redução de peso é a dieta.

Esta pode exercer um efeito educar e levar a um sucesso em longo prazo.

Isso é muitas vezes carente de outras dietas, resultando em um efeito yo-yo, em que uma grande parte do peso perdido volta.

Este aspecto foi abordado em um estudo utilizando uma versão modificada da dieta mediterrânea, que duraram 12 meses e consistiu nas seguintes fases de perda de peso:

20 dias dieta reduzida de carboidratos Mediterrâneo muito forte (cetogênica)

20 dias dieta moderadamente reduzida de carboidratos Mediterrânea (baixos- carboidratos)

4 meses normal calorias dieta mediterrânea

20 dias dieta reduzida de carboidratos Mediterrâneo muito forte (cetogênica)

6 meses normal caloria dieta mediterrânea (fase de manutenção)

Os pesquisadores conseguiram desta forma dentro de um ano para reduzir o peso corporal dos participantes por cerca de 16 kg.

A fase de baixa-carboidrato serviu para a supressão do apetite e levou a perda de peso, enquanto que o tempo de fase entre a preservação de peso corporal garantida.

Assim, a dieta mediterrânea, a redução da gordura corporal induzida mostrou obter em longo prazo através de uma mudança na dieta a ser extremamente eficiente.

 

(VÍDEO) Série dietas: 2 – dieta do Mediterrâneo

 

Algo a que a Maioria das Pessoas Obesas Falhar

A versão baixa-carboidratos da dieta mediterrânea consistiu principalmente em casos de artigos diversos legumes, peixe e azeite de oliva como a principal fonte de gordura.

Os participantes foram autorizados a comer o quanto podiam, porque as dietas de baixo carboidrato são conhecidas para conter significativamente a fome sem calorias deve ser contado.

Em um estudo similar, mas apenas consistiu de uma 6-semana dieta mediterrânea baixa em carboidratos, o peso assuntos 6,75 kg corporal diminuiu em média de gordura e 6,25% do corpo.

Para este fim, os seus níveis de colesterol melhorado (redução de LDL, HDL aumentou pela dieta), o triglicérido e açúcar no sangue de forma significativa.

Deve notar-se aqui que uma melhoria no colesterol LDL não é típica de todas as dietas baixas carboidrato.

No entanto, as mudanças no sangue em uma dieta baixo carboidrato parecem ser dependentes:

A escolha correta de carne (peixe em vez de carne vermelha)

De gorduras (óleos ômega-3 e monoinsaturadas, como azeite de oliva em vez de gorduras saturadas e Omega-6).

E a incorporação de vegetais e fibras suficientes na dieta.

Então, precisamente aqueles alimentos que são ditadas pela dieta mediterrânea.

Estudos semelhantes foram realizados com o chamado “dieta cetogénica”, que é também uma versão de baixo teor de carboidratos da dieta mediterrânea.

 

A dieta cetogênica é descrito como se segue:

30 g de carboidratos por dia fornecido pela salada (alface, espinafre, chicória) e vegetais verdes (brócolis, alcachofra)

O azeite de oliva como a principal fonte de gordura de mais de 30 ml / dia

Peixe foi comido em quatro dias como fonte de proteína

Nos outros três dias ovos, carne vermelha e queijo foram autorizados como fonte de proteína.

200-400 ml de vinho tinto foram permitidos diários

As calorias não foram restringidas, os participantes foram autorizados a comer o seu preenchimento.

A utilização desta versão da dieta mediterrânea resultou no prazo de 12 semanas a uma perda de 14 kg de peso corporal e redução de gordura corporal.

A pressão sanguínea, colesterol, e pontuações trigilicéridos glucose melhorada significativamente em participantes.

Em uma comparação direta entre um baixo teor de gordura e dieta rica em carboidratos e baixo teor calórico dieta mediterrânea, cortar o primeiro melhor.

A atividade metabólica diminui mais, apesar de uma perda de peso mais eficiente e menos de menos massa muscular foi reduzida, como na dieta mediterrânea.

Em uma comparação direta de 3 dietas, uma baixa caloria, dieta de baixa gordura, a dieta de restrição calórica de Creta e a dieta baixo carboidrato, os participantes tomaram uma média de -3.3 kg, -4.6 kg e -5,5 kg de peso corporal.

O estudo foi de 2 anos e calorias eram regiões relativamente temperadas.

A baixa caloria (1400-1600 Kcal por dia) variante da dieta mediterrânea já levou ao fim de um mês para uma perda de peso de -3,4% e -5,8%, após 4 meses.

O teor de base diz que uma redução de peso de 5% é necessária para efetuar alterações positivas na sensibilidade à insulina e a leptina.

No entanto, esses fatores foram impactados positivamente no primeiro mês com a dieta de Creta.

A dieta mediterrânea melhora alguns trabalhos do sangue, sem perda de peso.

Um grupo de investigação em causa com o efeito da dieta mediterrânea em valores de saúde era uma distinção entre a criação de uma dieta mediterrânica com e sem redução de calorias.

O objetivo era descobrir qual a percentagem dos valores sanguíneos sozinho tem a dieta e que é atribuível à perda de peso.

Os participantes do estudo foram primeiramente convertidos para a dieta mediterrânea, sem alterar a ingestão total de calorias, esta foi, em seguida, reduzida depois de 5 semanas, e resultou numa redução de peso.

A dieta mediterrânea tem baixado, sem uma perda de peso para produzir alguma inflamação no sangue em homens com a síndrome metabólica.

Assim, a concentração do marcador PCR inflamatória diminuída (proteína C-reativa) no sangue.

Os valores de IL-16 e IL-18 (interleucina), e TNF (fator de necrose tumoral) melhorou apenas pela alteração da dieta para a dieta mediterrânea.

Os valores de IL-16 e IL-18 foram determinados por uma redução suplementar de calorias e a perda de peso ainda mais melhorada.

A dieta mediterrânea reduzida “má” colesterol LDL em 10% e uma perda de peso adicional melhorou o valor não mais.

Infelizmente, a dieta conseguida sozinha não teve efeito sobre os níveis de pressão arterial, triglicerídeos, glicose e insulina, juntamente com uma redução no peso.

Uma combinação de dieta e perda de peso do Mediterrâneo resultou em leptina diminuída e aumento de adiponectina níveis.

Os níveis elevados de leptina estão associados com baixa sensibilidade em relação à leptina, o que é típico da obesidade e reduz o efeito de saturação dos alimentos ingeridos.

Contraste adiponectina é equiparado com o aumento da queima de gordura e um risco de depreciação para eventos cardiovasculares.

Um baixo valor de adiponectina está associado com um risco aumentado de doença cardiovascular e diabetes no composto.

A dieta Creta sozinha, mas sem a degradação de gordura corporal, estes valores poderiam não mudar.

 

Dieta Mediterrânea e Saúde Cardiovascular

Os resultados do estudo em curso Predimed da dieta mediterrânea são a prova de uma redução drástica no risco de doença cardíaca por cerca de 30%, em ambos os participantes que receberam as suas gorduras principalmente a partir do óleo de oliva.

Para 48% das mortes diminuiu doenças cardiovasculares nos participantes que tiveram a dieta mediterrânea mais de 5-6 colheres de sopa de azeite de oliva em sua dieta.

Também levou azeite a um risco significativamente menor de arritmias cardíacas.

Provavelmente, a combinação de nozes e azeite na dieta é o meio dourado, a ênfase deve ser colocada no azeite.

O alto consumo típico de peixe na dieta de Creta também fornece ácidos graxos ômega-3, que têm uma enorme importância para a saúde cardiovascular.

A dieta mediterrânea é superior em todos os pontos da dieta com baixo teor de gordura, quando se trata de reduzir o risco de doença cardiovascular.

O mais extenso estudo de intervenção em curso Predimed (Prevención con Dieta Mediterranea) examina o impacto da dieta mediterrânica sobre a saúde cardiovascular com base quase 7000 participantes.

Os participantes são homens entre 55 e 80 anos e mulheres entre 60 e 80 anos.

 

(VÍDEO) Série dietas: 2 – dieta do Mediterrâneo

 

O estudo está dividido em três braços:

O azeite de oliva é um componente importante da dieta mediterrânea.

Dieta mediterrânea com uma adição de azeite extra-virgem (com uma recomendação de mais de 4 colheres de sopa por dia, correspondente a pelo menos 40 g / dia)

Dieta mediterrânea com uma adição de nozes (com uma recomendação de 30 g / dia que consiste em: 15 nozes g, 7,5 g e 7,5 g de amêndoas avelãs)

Dieta de baixa gordura como um controle para a dieta mediterrânea

O azeite extra-virgem está sujeita a processos de fabricação muito rigorosos e controles sobre ranço, mofo, o vinagre ou sedimento lamacento.

Os resultados publicados são excelentes e descarregados em partes, em uma área que é mais como uma intervenção de drogas:

Redução da pressão arterial diastólica em 1,5 mmHg com o azeite extra-virgem e 0,65 mmHg com a adição de porcas.

Um risco menor em 38% de arritmias cardíacas com a ingestão adicional de azeite extra-virgem à dieta mediterrânea, mas não pela ingestão de frutos de casca rija.

A dieta mediterrânea, juntamente com o consumo de azeite está associada com um risco reduzido de 35% para as doenças cardiovasculares e 48% menos mortes por causas cardiovasculares.

Aqui foram os melhores desempenhos, os participantes, que tinham cerca de 5-6 colheres de sopa de azeite por dia em sua dieta.

A ingestão de porcas a dieta mediterrânea reduzida as partículas de colesterol LDL perigosas, pequenas e densas, que estão associadas com a arteriosclerose.

 

O azeite expressos nenhum efeito neste contexto.

O risco de câncer de doença cardiovascular foi reduzida em 30% através da dieta mediterrânica com azeite extra-virgem e 28% com as porcas.

Uma meta-análise de 6 estudos, os efeitos da dieta mediterrânica versus uma dieta de baixa gordura sobre fatores de risco cardiovascular em comparação.

A dieta de Creta foi mais eficiente em todos os pontos, porque os participantes foram comparados com a dieta de baixa gordura seguintes vantagens:

A perda de peso para -2,2 kg

Redução da pressão arterial sistólica em 1,7 mmHg

Redução da pressão arterial diastólica de -1,5 mm Hg

Redução do colesterol para -7,4 mg / dL

Proteína C-reativa (CRP) a 1 mg / L (menores valores de inflamação, a redução do risco para a aterosclerose)

 

Dieta Mediterrânea Prevenção do Câncer

A dieta mediterrânea reduz o risco de desenvolver câncer, especialmente câncer de cólon, câncer de próstata e câncer do trato respiratório e digestivo.

Índices de Estudos epidemiológicos apontam para minimizar os riscos em 10%, o randomizado contraste Lyon Diet Heart Study de 56% a menos de risco global para todos os cancros.

Os componentes individuais (legumes, frutas, grãos integrais) de Creta dieta contribuir para a prevenção do câncer.

Uma meta-análise a partir de 2014 analisou 33 estudos epidemiológicos (um total de cerca de 1,3 milhões de pessoas) para minimizar mortes causadas pela dieta Creta.

A redução do risco para todos os tipos de câncer equivale a 10% no grupo de pessoas que aderem à dieta Creta.

Para os tumores individuais para minimizar o risco é dividido da seguinte forma:

Câncer -14%

Próstata -4%

Os carcinomas do trato respiratório e digestivo -56%

Os dados epidemiológicos são um bom ponto de partida, no entanto, estudos de intervenção randomizados são preferíveis, em que os participantes também são observados em mais detalhe e para obter instruções sobre dieta.

Não é apenas na medida em um estudo randomizado com os dados publicados para o risco de câncer na dieta mediterrânea, o estudo do coração de Lyon Diet.

De acordo com este baixou a adesão estrita à dieta mediterrânea, o risco de morrer de cancro por drástica de 56%.

 

Componentes da dieta Creta para prevenir o câncer

Uma possível explicação para este efeito de prevenção do câncer da dieta

Creta fornece uma meta-análise de 19 estudos sobre o efeito do azeite no risco de câncer.

Este foi um 0,66 vezes diminuição do risco de qualquer tipo de câncer de câncer em pessoas que consumiram uma grande quantidade de azeite em comparação com o menor consumo de azeite.

Os componentes típicos da dieta mediterrânea são os vegetais, frutas, grãos integrais (fibra) e peixes, todos os quais estão associados com uma diminuição do risco de cancro do cólon, do esófago e do cancro da mama.

Porque a dieta mediterrânea defende a renúncia ou de um consumo moderado de carne vermelha, isso poderia reduzir o risco de câncer de intestino.

De carne vermelha aumenta Cada 100 g Darmadenoma mais por dia o risco de câncer em 36%. Darmadenoma são precursores de câncer de cólon.

O tomate representa uma parte importante na dieta mediterrânea à base de vegetais.

O licopeno, um corante antioxidante de tomate está associado com um risco reduzido de cancro da próstata.

O licopeno tem anti-inflamatório, protege contra radicais livres modificados o efeito de hormonas androgénicas sobre a próstata e melhora a comunicação intercelular.

Todos esses fatores contribuem para diminuir o risco de câncer de próstata.

 

(VÍDEO) Dieta Mediterrânica para uma Alimentação Saudável

 

Dieta Mediterrânea e Diabetes Tipo 2

A dieta mediterrânea reduz o risco de diabetes doença 2 numa gama de 12-83%, dependendo do estudo.

Para diabetes existente, o controle glicêmico é melhorada pela dieta mediterrânea e o aumento em diabéticos HbA1c diminuiu 0,47% hemoglobina glicosilada.

 

Prevenção de diabetes 2 pela dieta Certa

A evidência mais forte para os efeitos preventivos da dieta mediterrânea contra o desenvolvimento de uma sensibilidade à insulina deteriorou fornece o estudo Predimed acima mencionado.

Neste participante do estudo de intervenção randomizado, clínicas, quer a dieta mediterrânea foram associados com uma dieta de baixo teor de gordura ou um controle.

 

A dieta mediterrânea assistiu de longe superior.

A redução do risco de 52% de diabetes tipo 2 foi diagnosticado determinar dieta entre os participantes sobre a Creta.

Outras sete estudos confirmam estes resultados, com a redução do risco de diabetes 2 movido numa gama de 12% -83% .

A dieta mediterrânea não só protege as pessoas saudáveis, mas também mulheres com diabetes gravidez existentes e pacientes com um ataque de coração.

As razões para esta atividade forte são extensos e resultado da dieta devido à dieta Creta.

Consumir azeite, nozes, frutas, legumes e verduras levar a uma mudança de ácidos graxos saturados e ácidos graxos trans de gordura monoinsaturada e mais fibras e antioxidantes na dieta.

Isso reduz o estresse causado pelos radicais livres e inflamação e melhorou a sensibilidade à insulina.

 

Dieta mediterrânea na diabetes existente 2

Uma meta-análise de 20 ensaios clínicos randomizados para certificar a dieta Creta melhorou o controle glicêmico em pacientes com diabetes tipo 2.

A HbA1c hemoglobina glicada é uma medida dos níveis de glicose no sangue.

Em níveis elevados de glicose, de hemoglobina aumenta reage com o açúcar no sangue e como resultado, o HbA1c.

A menor concentração desta hemoglobina glicosilada é procurada em pacientes diabéticos.

A dieta Crete conseguiu uma redução de 0,47%, que foi melhor do que uma dieta à base de proteínas ou baixo carboidrato.

 

Efeitos cognitivos da dieta mediterrânea

A dieta mediterrânea está associada com um menor risco de acidente vascular cerebral ou a probabilidade de depressão para o cancro.

Ele também parece reduzir o desempenho da memória em contrariar idade.

Uma meta-análise de 22 estudos (11, do acidente vascular cerebral, depressão 9 a 8, para desperdiçar a memória e a um Parkinson) avaliaram as relações entre a dieta mediterrânea com uma variedade de distúrbios cognitivos.

Com a adesão estrita à dieta, as seguintes correlações foram observadas nos participantes do estudo:

29% menor risco de acidente vascular cerebral

32% menos probabilidade de desenvolver depressão

40% menos pessoas com o desempenho da memória prejudicada

Resultados semelhantes foram obtidos, um estudo realizado em Chicago.

A estrita observância da dieta Creta resultou em um grupo de 3.500 participantes idosos para um risco dramaticamente reduzido de desenvolver câncer de sintomas depressivos.

No prazo de 7 anos, enfermo 98,6% menos pessoas dentro do grupo da dieta de Creta.

Estes resultados não são totalmente suportados pelo extenso estudo Predimed, que inclui dados de mais de 7.000 participantes.

Apenas um baseou-se em dieta mediterrânea suficiente poderia reduzir o risco de doenças depressivas por 31% em pessoas com diabetes.

Para os participantes do estudo sem diabetes, a redução do risco foi de 22%, porém, mas estes não foram estatisticamente significativos e podem ser contadas mais de uma tendência.

No entanto estudo Predimed mostrou uma associação entre melhores habilidades cognitivas e de conformidade com a dieta de Creta.

 

Implementação

A dieta Creta, por um lado, como uma dieta saudável, por outro lado utilizado para perda de peso.

Precisa perder peso para ser reduzido abaixo do próprio volume de negócios, apesar da dieta saudável também as calorias.

Um calendário exato para a implementação da dieta Creta não existe, por isso, no entanto, uma lista de tipos de alimentos que compõem a maior parte da dieta.

 

A dieta Creta baseia-se na seguinte base de alimentos:

Alto consumo de frutas e legumes (de enchimento, ricos em vitaminas, minerais, oligoelementos, substâncias vitais das plantas)

Leguminosas, como feijões e lentilhas (importante fonte de fibras, proteínas e hidratos de carbono)

Os cereais integrais (pão e massas de grãos inteiros)

Peixe pelo menos duas vezes por semana (importante fonte de ácidos graxos ômega-3)

Pequenas porções de nozes e sementes (gorduras boas, mas ricos em calorias)

Azeite (principal fonte de gordura na dieta de Creta, ácidos graxos monoinsaturados)

O consumo de vinho com moderação

Ser limitados ou evitados:

Dispensa de produtos de farinha branca

Açúcar refinado

Doces raramente

Na dieta mediterrânea muito pouca carne vermelha é comido

Produtos lácteos, como iogurte e queijo com moderação

Uso excessivo de sal, ao contrário, mais especiarias

 

(VÍDEO) Dieta Mediterrânica

 

Baixo Carboidrato Dieta Mediterrânea

O baixo carboidrato ou versão cetogênica de Creta dieta diferente do original que é omitido alimentos com alto teor de carboidratos ou médio.

Para desenvolver uma compreensão da dieta low-carb que você leia tudo sobre a dieta baixo carboidrato.

A dieta de baixo carboidrato Creta leva ao apetite prejudicado e, portanto, resulta em uma redução de peso sem as calorias devem ser contados.

Eles podem ser mantidos durante o tempo que você ainda quer perder peso.

A quantidade de hidratos de carbono por dia é de preferência mantida abaixo de 30 g.

As seguintes modificações foram feitas para a dieta baixas carboidrato Mediterrâneo:

Grãos integrais (massas, pão) e arroz não são comidos ou apenas em quantidades muito pequenas.

Legumes carboidratos como feijão e lentilha, que se comem geralmente será retirado do plano ou comido apenas em pequenas quantidades.

Vegetais de carboidratos, como batatas são completamente removidos, cenoura, beterraba e cebola em moderação.

Frutos contendo hidratos de carbono, tais como maçãs, bananas, peras não pode ser consumido. Em vez disso, bagas e morangos, em dimensões melancia pequenos.

Todos os outros aspectos da dieta de Creta, você pode continuar a manter.

Quanto você quer para reduzir a ingestão de carboidratos depende de sua própria programação.

Típico de dietas de baixo carboidrato são quantidades de hidratos de carbono abaixo de 50 ou 30 g / dia.

ATUALIZADO: 20.10.16

 

medico emagrecer mulher

 

>> >> RECOMENDAMOS PARA VOCÊ:

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *